09 janeiro, 2019

Morre Padre Quevedo aos 88 anos devido a problemas cardíacos

Nenhum comentário:

Faleceu na madrugada desta quarta-feira, 9 de janeiro, em Belo Horizonte (MG), o Padre Oscar González Quevedo aos 88 anos. O jesuíta morreu devido a problemas cardíacos. O velório, a Missa de corpo presente e o sepultamento serão realizados nesta quinta-feira, 10 de janeiro, na capital mineira. As cerimônias serão reservadas para familiares, amigos e religiosos.




Natural de Madri (Espanha), Quevedo nasceu em 15 de dezembro de 1930. Aos 15 anos, ingressou na Companhia de Jesus. Em 1959, aos 29 anos, o jesuíta chegou ao Brasil e, na década de 1960, naturalizou-se brasileiro sendo ordenado sacerdote no ano seguinte.

No País, ele atuou como professor universitário de parapsicologia no Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL) e no Centro Latino-Americano de Parapsicologia (CLAP), onde também foi diretor.  Em 2012, Padre Quevedo foi para Belo Horizonte para cuidar da saúde.




Considerado um dos maiores especialistas do mundo na área de Parapsicologia, padre Quevedo foi autor de dezenas de livros, muitos dos quais traduzidos para outras línguas. Entre as suas obras estão: O que é parapsicologia, A Face Oculta da Mente e As Forças Físicas da Mente.

Fora dos ambientes acadêmicos e em algumas conversas informais, Padre Quevedo é lembrado quando é feito o uso do famoso bordão muito utilizado pelo sacerdote: "isso non ecxiste".

Quem não gostava do Padre Quevedo?


Há sete anos, quando ainda morava em São Paulo, Padre Quevedo concedeu entrevista à Rádio Vaticano. Na ocasião, foi dito que muitas pessoas gostam do Padre Quevedo, mas muitos não. Questionado sobre quais eram os que não gostavam dele, o sacerdote jesuíta respodeu que "não dá para contar".




"Os espíritas, os macumbeiros, ateus. Muitos evangélicos, pois para eles tudo é o demônio e qualquer fenômeno parapsicológico atribuem ao demônio", disse o religioso.

Segundo Padre Quevedo, o CLAP "fez um inquérito com mais de 400 pastores evangélicos que atribuem todas as doenças aos demônios. Segundo o jesuíta, todos os 400 pastores afirmaram que quando estão doentes recorrem aos médicos ao invés de procurar outros pastores. "Sinal de eles mesmos não acreditam que as doenças sejam devidas aos demônios", afirmou o sacerdote.

Com informações de Vatican News



Recomendado para você
Continue lendo...

08 janeiro, 2019

Ladainha da humildade: conheça e aprenda a rezar esta bela oração

Nenhum comentário:

"Enquanto vivemos nesta terra não há coisa que mais importa para nós do que a humildade", escreveu Santa Teresa D’Ávila no capítulo 2, número 9 do livro Moradas. E o Cardeal Merry del Val parecia saber disso e por este motivo trazemos ao blog a Ladainha da humildade, uma bela oração.




Merry del Val (1865-1930), Secretário de Estado do Vaticano, durante o pontificado de São Pio X, costumava recitar esta oração depois de celebrar a Santa Missa. Algumas textos afirmam que o próprio cardeal teria composto essa oração.

Ladainha da humildade


Ó Jesus, manso e humilde de coração, ouvi-me.
Do desejo de ser estimado, livrai-me, ó Jesus.
Do desejo de ser amado, livrai-me, ó Jesus.
Do desejo de ser conhecido, livrai-me, ó Jesus.
Do desejo de ser honrado, livrai-me, ó Jesus.
Do desejo de ser louvado, livrai-me, ó Jesus.
Do desejo de ser preferido, livrai-me, ó Jesus.
Do desejo de ser consultado, livrai-me, ó Jesus.
Do desejo de ser aprovado, livrai-me, ó Jesus.
Do receio de ser humilhado, livrai-me, ó Jesus.
Do receio de ser desprezado, livrai-me, ó Jesus.
Do receio de sofrer repulsas, livrai-me, ó Jesus.
Do receio de ser caluniado, livrai-me, ó Jesus.
Do receio de ser esquecido, livrai-me, ó Jesus.
Do receio de ser ridicularizado, livrai-me, ó Jesus.
Do receio de ser difamado, livrai-me, ó Jesus.
Do receio de ser objeto de suspeita, livrai-me, ó Jesus.
Que os outros sejam mais amados do que eu, Jesus, dai-me a graça de desejá-lo.
Que os outros sejam mais estimados do que eu, Jesus, dai-me a graça de desejá-lo.
Que os outros possam elevar-se na opinião do mundo, e que eu possa ser diminuído, Jesus, dai-me a graça de desejá-lo.
Que os outros possam ser escolhidos e eu posto de lado, Jesus, dai-me a graça de desejá-lo.
Que os outros possam ser louvados e eu desprezado, Jesus, dai-me a graça de desejá-lo.
Que os outros possam ser preferidos a mim em todas as coisas, Jesus, dai-me a graça de desejá-lo.
Que os outros possam ser mais santos do que eu, embora me torne o mais santo que quanto me for possível, Jesus, Jesus, dai-me a graça de desejá-lo.

Recomendado para você
Continue lendo...

04 janeiro, 2019

Quem não é bispo pode ser eleito Papa?

Nenhum comentário:
- Imagem referencial: primeira aparição pública de João Paulo II. Foto: Wikipedia/Domínio Público -

Se você não se fez essa pergunta, há de convir que ela traz consigo muita curiosidade, não é verdade? Chega a gerar estranheza pensar um homem que não seja bispo possa ser eleito Papa pelos cardeais durante um Conclave. Mas será que existe essa possibilidade?




Mesmo que muito considerem remota, é possível um homem batizado ser eleito Papa mesmo que ainda não tenha recebido a ordenação episcopal. Veja bem: é possível ser eleito, mas para que assuma o cargo, deverá ser ordenado Bispo imediatamente (cf. Código de Direito Canônico, 332 § 1), pois será Bispo de Roma.

"Se o Eleito é privado do caráter episcopal, depois da aceitação, o Decano do Colégio dos Cardeais ou, se ele estiver ausente ou legitimamente impedido o Subdecano ou o primeiro dos Cardeais por ordem e por antiguidade, aconselhando-se com os outros Cardeais, estabelece que se faça [a ordenação], de modo que o Mestre das Celebrações Litúrgicas Pontifícias providencie tudo para o Eleito seja imediatamente ordenado Bispo com rito solene" (Ordo rituum Conclavis, n. 64).




Somente após ter sido solenemente ordenado Bispo, lhe será prestadata homenagem e feito o anúncio ao povo com o tão famoso Habemus Papam (cf. Universi Dominici Gregis, n. 89).


Recomendado para você
Continue lendo...

03 janeiro, 2019

Solenidade da Epifania e o anúncio das festas móveis do ano litúrgico

Nenhum comentário:

A Solenidade da Epifania do Senhor - 6 de janeiro - está junto as maiores festas do ano litúrgico, pois celebra, no Menino nascido de Maria, a manifestação daquele que é o Filho de Deus, o Messias dos Judeus e a Luz das Nações (cf. Cerimonial dos Bispos, n. 240). É neste dia especial que, de acordo com os costumes locais, a Igreja anuncia oficialmente as datas das festas móveis do ano corrente.




Este costume relaciona-se com a prática dos primeiros séculos cristão, quando desde Alexandria (onde eram especialmente cultivados os estudos astronômicos), mandavam-se a todas as igrejas da cristandade as chamadas lettere festali, nas quais se indicava a data precisa da Páscoa.

Veja também:


Por esse antigo costume, o Missal estabelece como opcional que no dia da Epifania seja feito o anúncio solene das festas móveis do ano. Este anúncio é feito com um texto especial que prevê o Missal, e pode ser cantado ou lido.

No Cerimonial dos Bispos, lê-se, em seu número 240, que "se tal for o costume local, após o canto do Evangelho, um dos diáconos, ou algum cônegos ou beneficiado ou outra pessoa revestida de pluvial, subirá ao ambão e daí anunciará ao povo as festas
móveis do ano corrente".




Na mesma linha, o Diretório Litúrgico da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) faz referência a esta data ao orientar que, "depois da proclamação do Evangelho ou em seguida à Oração depois da Comunhão, faz-se o anúncio das solenidades móveis do ano".

Texto válido para o anúncio das data móveis de 2019


Irmãos caríssimos,
a glória do Senhor manifestou-se,
e sempre há de manifestar-se no meio de nós,
até a Sua vinda no fim dos tempos.

Nos ritmos e nas vicissitudes do tempo,
recordamos e vivemos os mistérios da salvação.

O centro de todo o Ano Litúrgico é
o Tríduo do Senhor crucificado, sepultado e ressuscitado,
que culminará no Domingo de Páscoa, este ano em 21 de abril.

Em cada domingo, Páscoa semanal, a Santa Igreja torna presente
este grande acontecimento, no qual Jesus Cristo
venceu o pecado e a morte.

Da celebração da Páscoa do Senhor
derivam todas as celebrações do Ano Litúrgico:

— as Cinzas, início da Quaresma, em 6 de março;
— a Ascensão do Senhor, em 30 de maio;
— o Pentecostes, em 23 de junho;
— o 1º Domingo do Advento, em 1 de dezembro.

Também as festas da Santa Mãe de Deus, dos Apóstolos,
dos Santos, e na comemoração dos Fiéis Defuntos,
a Igreja peregrina sobre a terra proclama a Páscoa do Senhor.

A Cristo que era, que é e que há de vir, Senhor do tempo e da
história, louvor e glória pelos séculos dos séculos.

Amém.

Vídeo do anúncio das datas móveis de 2018 no Vaticano





Recomendado para você
Continue lendo...

02 janeiro, 2019

5 orações para rezar após a Comunhão

Nenhum comentário:
- Imagem referencial. Foto: Pixabay/Domínio Público -

Procurando uma oração para rezar durante aqueles minutos de silêncio após a Comunhão? Confira a seguir uma lista com 5 orações que podem ser feitas nesse momento.

Oração de Santo Tomás de Aquino


Eu vos dou graças,
ó Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso,
porque, sem mérito algum de minha parte,
mas somente pela condescendência de vossa misericórdia,
vos dignastes saciar-me, a mim pecador, vosso indigno servo,
com o sagrado Corpo e o precioso Sangue do vosso Filho,
nosso Senhor Jesus Cristo.
E peço que esta santa comunhão
não me seja motivo de castigo,
mas salutar garantia de perdão.
Seja para mim armadura da fé, escudo de boa vontade
e libertação dos meus vícios.
Extinga em mim a concupiscência e os maus desejos,
aumente a caridade e a paciência,
a humildade e a obediência,
e todas as virtudes.
Defenda-me eficazmente contra as ciladas dos inimigos,
tanto visíveis como invisíveis.
Pacifique inteiramente todas as minhas paixões,
unindo-me firmemente a vós, Deus uno e verdadeiro,
feliz consumação de meu destino.
E peço que vos digneis conduzir-me a mim pecador
àquele inefável convívio em que vós
com vosso Filho e o Espírito Santo
sois para os vossos Santos a luz verdadeira,
a plena saciedade e a eterna alegria,
a ventura completa e a felicidade perfeita.
Por Cristo, nosso Senhor.
Amém.




Alma de Cristo


Alma de Cristo, santificai-me.
Corpo de Cristo, salvai-me.
Sangue de Cristo, inebriai-me.
Água do lado de Cristo, lavai-me.
Paixão de Cristo, confortai-me.
Ó bom Jesus, ouvi-me.
Dentro de vossas chagas, escondei-me.
Não permitais que me separe de vós.
Do espírito maligno, defendei-me.
Na hora da morte, chamai-me
e mandai-me ir para vós,
para que com vossos Santos vos louve
por todos os séculos dos séculos.
Amém.

Oferecimento de si mesmo


Recebei, Senhor, minha liberdade inteira.
Recebei minha memória,
minha inteligência e toda a minha vontade.
Tudo que tenho ou possuo de vós me veio;
tudo vos devolvo e entrego sem reserva
para que a vossa vontade tudo governe.
Dai-me somente vosso amor e vossa graça
e nada mais vos peço,
pois já serei bastante rico.




Oração universal atribuída ao Papa Clemente XI

Meu Deus, eu creio em vós, mas fortificai a minha fé;
espero em vós, mas tornai mais confiante a minha esperança;
eu vos amo, mas afervorai o meu amor;
arrependo-me de ter pecado, mas aumentai o meu arrependimento.
Eu vos adoro como primeiro princípio,
eu vos desejo como fim último;
eu vos louvo como benfeitor perpétuo,
eu vos invoco como benévolo defensor.
Que vossa sabedoria me dirija,
vossa justiça me contenha,
vossa clemência me console,
vosso poder me proteja.
Meu Deus, eu vos ofereço
meus pensamentos, para que só pense em vós;
minhas palavras, para que só fale em vós;
minhas ações, para que sejam do vosso agrado;
meus sofrimentos, para que sejam por vosso amor.
Quero o que quiserdes,
porque o quereis,
como o quereis,
e enquanto o quereis.
Senhor, eu vos peço:
iluminai minha inteligência,
inflamai minha vontade,
purificai meu coração
e santificai minha alma.
Dai-me chorar os pecados passados,
repelir as tentações futuras,
corrigir as más inclinações
e praticar as virtudes do meu estado.
Concedei-me, ó Deus de bondade,
ardente amor por vós e aversão por meus defeitos,
zelo pelo próximo e desapego do mundo.
Que eu me esforce para obedecer aos meus superiores,
auxiliar os que dependem de mim,
dedicar-me aos amigos e perdoar os inimigos.
Que eu vença a sensualidade pela austeridade,
a avareza pela generosidade,
a cólera pela mansidão
e a tibieza pelo fervor.
Tornai-me prudente nas decisões,
corajoso nos perigos,
paciente nas adversidades
e humilde na prosperidade.
Fazei, Senhor, que eu seja atento na oração,
sóbrio nos alimentos,
diligente no trabalho
e firme nas resoluções.
Que eu procure possuir
pureza de coração e modéstia de costumes,
um procedimento exemplar e uma vida reta.
Que eu me aplique sempre em vencer a natureza,
colaborar com a graça,
guardar os mandamentos
e merecer a salvação.
Aprenda de vós como é pequeno o que é da terra,
como é grande o que é divino,
breve o que é desta vida
e duradouro o que é eterno.
Dai-me preparar-me para a morte,
temer o dia do juízo,
fugir do inferno
e alcançar o paraíso.
Por Cristo, nosso Senhor. Amém.




Oração a N. S. Jesus Cristo Crucificado

Eis-me aqui, ó bom e dulcíssimo Jesus!
De joelhos me prostro em vossa presença
e vos suplico com todo o fervor de minha alma
que vos digneis gravar no meu coração
os mais vivos sentimentos de fé, esperança e caridade,
verdadeiro arrependimento de meus pecados
e firme propósito de emenda,
enquanto vou considerando,
com vivo afeto e dor,
as vossas cinco chagas,
tendo diante dos olhos
aquilo que o profeta Davi já vos fazia dizer, ó bom Jesus:
Traspassaram minhas mãos e meus pés,
e contaram todos os meus ossos (Sl 21,17).


Recomendado para você
Continue lendo...

28 dezembro, 2018

Quantas paróquias existem no Vaticano?

Nenhum comentário:
- Basílica de São Pedro. Foto: Wikimedia/Creative Commons -

Sempre que se fala no Vaticano, o pensamento logo remete à Praça de São Pedro, Basílica de São Pedro e muitos acabam até achando que é lá que está a Catedral do Papa. Mas, você já se perguntou quantas paróquias existem no Vaticano, o menor país do mundo?




Vamos matar sua curiosidade logo no segundo parágrafo desta publicação! Existe apenas uma paróquia no Vaticano: Pontifícia Paróquia de Sant'Ana, cuja localização é ao lado da Porta Sant'Anna, uma das fronteiras internacionais entre o Vaticano e a Itália.

- Após o portão, a Paróquia de Sant'Ana é a primeira edificação à direita. Foto: Wikimedia/CC -

A Basílica de São Pedro faz parte da Paróquia de Sant'Ana bem como todo território do Vaticano. Por ser pequena e não tão famosa, essa igreja matriz paroquial não é muito citada, principalmente aqui no Brasil. No entanto, muitos que acessam a Praça de São Pedro pela Via di Porta Angelica, diversas vezes sem saber, param em frente à Porta Sant'Anna só por um motivo: fotografar soldados da Guarda Suíça que monitoram a fronteira - essa tendência é maior ainda nos fins de semana, dias de solenidade e dias de audiência do Romano Pontífice, ocasiões em que os guardas usam o tradicional uniforme colorido.

- Soldados da Guarda Suíça monitorando a fronteira na Porta Sant'Anna durante visita do Papa ao local -

A igreja matriz da Pontifícia Paróquia de Sant'Ana também é conhecida como Sant'Anna dei Palafrenieri, ou Igreja de Sant'Ana dos Cavalariços ou ainda Sant'Anna in Vaticano. O templo teve a construção iniciada em 1565 e foi concluído em 1775, sendo Barroco o estilo dominante.

A igreja pertenceu à Arquiconfraria dos Pontifícios Cavalariços até 1929, quando foi assinado o Tratado de Latrão, o qual constituiu o Estado da Cidade do Vaticano. Em 30 de maio de 1929, o Papa Pio XI transformou a igreja em paróquia através da Constituição Apostólica Ex Lateranensi pacto. Na ocasião, o templo foi entregue aos agostinianos e até hoje eles administram a paróquia.




Por ser uma Pontifícia Paróquia, a fachada da igreja ostenta o brasão do Papa reinante, como é possível ver na imagem abaixo registrada durante o pontificado de Bento XVI.

- Foto: Wikimedia/Creative Commons -

A Pontifícia Paróquia Sant'Ana é praticamente um dos únicos lugares público de oração dentro dos muros do Vaticano e pode ser acessada sem necessidade de licenças. Geralmente os Guardas irão lhe perguntar onde você irá: ao dizer que entrará na igreja, eles vão liberar a passagem.




O interior da igreja é realmente belo e o silêncio que há no local ajuda e, muito, a manter o clima de oração. Todos os dias as portas abrem às 5h45 da manhã para as celebrações e a recepção dos funcionários que, antes de irem trabalhar nos diversos ofícios e serviços da Cúria Romana, começam o dia com a oração. Ao longo do dia, o local se torna um ponto de recolhimento a todos (moradores e turistas) que vão ali fazer suas orações.

Se um dia for viajar à Roma, não deixe de colocar em seus planos uma visita a esta igreja no Vaticano.


Recomendado para você
Continue lendo...