06 maio, 2019

É pecado trabalhar aos domingos e dias de preceito?

Nenhum comentário:
- Interior da Basílica de São Pedro, Vaticano. Foto: Pixabay/Domínio Público -

Talvez você já tenho feito essa pergunta a si próprio: é pecado trabalhar aos domingos e dias de preceito? Afinal, o terceiro mandamento do Decálogo diz para guardar domingos e festas.




Esta nossa publicação com o auxílio de um vídeo do Padre Leonardo Henrique, que pertence a Administração Apostólica São João Maria Vianney. No conteúdo, ele discorre sobre o assunto de forma bem didática, mas antes de irmos a ele, vamos citar dois pontos para que você se situe melhor ao conteúdo do vídeo.

Catecismo da Igreja sobre o domingo


O Catecismo da Igreja Católica diz que "a Eucaristia dominical fundamenta e sanciona toda a prática cristã. É por isso que os fiéis têm obrigação de participar na Eucaristia nos dias de preceito, a menos que estejam justificados, por motivo sério (por exemplo, doença, obrigação de cuidar de crianças de peito) ou dispensados pelo seu pastor. Os que deliberadamente faltam a esta obrigação cometem um pecado grave" (CIC, 2181).

Complemento do Código de Direito Canônico


O Código de Direito Canônico, em seu Cânon 1247, complementa o ordenamento quando diz que "no domingo e nos outros dias de festa de preceito, os fiéis têm a obrigação de participar da missa; além disso, devem abster-se das atividades e negócios que impeçam o culto a ser prestado a Deus, a alegria própria do dia do Senhor e o devido descanso da mente e do Corpo".




Já situado com estes pontos, confira o vídeo do Padre Leonardo Henrique.

Trabalhar aos domingos é pecado?





Recomendado para você
Continue lendo...

03 maio, 2019

3 vezes em que Nossa Senhora foi "Influencer" de Deus na história

Nenhum comentário:
- Nossa Senhora de Lourdes. Foto: Pixabay/Domínio Público -

Na vigília da Jornada Mundial da Juventude Panamá 2019, o Papa Francisco se referiu a Nossa Senhora de uma forma incomum, mas em uma linguagem muito conhecida pelos jovens. Segundo o Santo Padre, "podemos dizer com confiança de filhos: Maria, a 'influencer' de Deus".




A forma utilizada é incomum, mas Francisco explicou dizendo que Maria é "influencer" porque "com poucas palavras se animou a dizer 'sim' e a confiar no amor, a confiar nas promessas de Deus, que é a única força capaz de renovar, de fazer novas todas as coisas".

Quer explicação melhor? Então, diante disso, muitos se perguntaram: Como assim a Virgem Maria foi uma influencer? Aqui te apresentamos 3 momentos em que ela influenciou nossa história:

A salvação da humanidade


O momento mais importante em que a Virgem Maria influenciou em nossas vidas, foi quando disse seu “SIM” ao plano de Deus. Graças a esse SIM, Cristo nasceu, habitou entre nós, e com sua morte e ressurreição nos salvou do pecado.




Esta obediência humilde da Virgem a Deus foi modelo a seguir por muitos homens e mulheres que deram sua vida pela Igreja e pela salvação do mundo. Todo católico tem a Virgem Maria como a maior referência de cristianismo que há.

A queda da URSS (Rússia comunista)


Em 1917 aconteceram as aparições da Virgem de Fátima. Em uma destas, ela pediu que, para salvar mais almas, a Rússia teria que ser consagrada a seu Imaculado Coração. Nesse mesmo ano se deu a Revolução Russa e se iniciou a expansão do comunismo no mundo.

Em 1984, São João Paulo II, junto aos bispos do mundo, consagraram toda a humanidade ao Imaculado Coração de Maria. Este ato foi uma resposta explícita ao pedido da Virgem de Fátima. Cinco anos depois caiu o Muro de Berlim, símbolo do poder comunista, e em 1991 a URSS, um império de mais de 70 anos, acabou.

Evangelização da América


No século XVI, os espanhóis tinham muitos problemas na evangelização dos nativos, que se rebelava constantemente e por isso não conseguiam compreender e acolher a fé passada.




Mas foi no Monte Tepeyac, México, em 1531, onde ocorreu a aparição de Nossa Senhora de Guadalupe.

A Virgem Maria apareceu ao índio Juan Diego com vestes indígenas e falando sua língua, o nahuatl. Graças a essa aparição, finalmente os espanhóis e os indígenas passaram a viver em comunhão e a evangelização foi impulsionada a passos gigantes.

Com informações de ChurchPOP Português


Recomendado para você
Continue lendo...

Está desempregado? Oração a São José para conseguir emprego

Nenhum comentário:

Mesmo sem ter dito uma palavra nas Escrituras, São José é exemplo de fidelidade, obediência e perseverança através de seu silêncio, amor pelo trabalho e dedicação ao cuidar da Sagrada Família durante os anos de formação de Jesus.

São José tornou-se um dos santos mais queridos do cristianismo, padroeiro dos trabalhadores e também das famílias.




Conheça abaixo está bela oração a São José Operário para pedir a intercessão desse santo tão querido e auxílio na busca por um novo emprego. Reze com fé!

Oração a São José Operário


Ó meu querido São José, Santo Trabalhador, que em vida fizestes a vontade de Deus através do trabalho, sustentando com o pão honesto a boca de teu filho Jesus, abra as portas do comércio e das indústrias para que eu possa conseguir um emprego.

Dai-me forças e coragem para não desistir ao primeiro "não", e que cada "não" que eu ouça alimente minha fé para buscar um "sim".




Que eu tenha a disposição de Santa Teresa D'Ávila, humildade de São Francisco de Assis, a força e a perseverança de Santo Antônio.

Orienta os nossos governantes para que a distribuição dos bens de nosso País seja mais justa, dando trabalho e riqueza suficiente a toda a gente.

Protegei nossas famílias para que não se deixem vencer pela seca, pelo medo, pela violência, pela falta de trabalho e dá-nos esperança renovada a cada domingo da Ressurreição.




Meu São José, padroeiro dos trabalhadores, não me deixe sem o pão de cada dia e sem perspectiva de trabalho para sustentar honestamente minha família.

Prometo, com o dinheiro do salário pago de meu futuro emprego, ajudar quem necessita e divulgar minha devoção por Ti.


Recomendado para você
Continue lendo...

02 maio, 2019

Os 2 erros mais comuns cometidos por aqueles que rezam o rosário

2 comentários:
Publicado originalmente em Aleteia
-Imagem referencial. Foto: Pixabay -
São Luís Grignion de Monfort é um dos grandes apóstolos da devoção mariana, isto é, do amor por Nossa Senhora, a Santíssima Virgem Maria, como mãe de Jesus e, por vontade dele, nossa própria mãe. Sendo o rosário uma das mais populares manifestações dessa devoção e uma das mais profundas formas de contemplação dos mistérios da nossa Redenção, ele o recomenda com grande fervor e lhe dedica destaque central na sua obra.




Neste trecho de seu livro "A eficácia maravilhosa do Santíssimo Rosário", ele nos fala sobre dois dos nossos erros mais comuns ao rezarmos o rosário:

“Para bem recitar o Rosário, após invocar o Espírito Santo, colocai-vos, por alguns instantes, diante da presença de Deus (…) Antes de cada dezena, concentrai-vos por alguns momentos, segundo a vossa disponibilidade, para considerar o mistério que estais a celebrar naquela dezena e pedi, sempre, que, por esse mistério e pela intercessão da Virgem Santíssima, uma das virtudes que mais se destacam nesse mistério ou a virtude mais necessária para a vossa redenção.

Cuidai, principalmente, para não cairdes nos dois erros mais comuns cometidos por aqueles que rezam o Terço ou o Rosário.





O primeiro é o de rezar sem pensar numa intenção, de maneira que, se perguntardes qual a intenção pela qual rezam o Terço, não saberão responder. Assim, deveis sempre ter em vista, ao recitar o Rosário, o pedido de uma graça, uma virtude à qual desejais vos assemelhar, ou algum pecado que desejais destruir em vosso coração.

O segundo erro que habitualmente cometemos, ao rezar o santo Rosário, é o de não ter qualquer disposição ao recitá-lo a não ser a de terminá-lo rapidamente. Isso decorre do fato de olharmos o Rosário como algo oneroso, que pesa sobre nossos ombros, quando não o rezamos e, mormente, quando dele fazemos um princípio de consciência, ou quando o recebemos como penitência e sem vontade própria”.

Em resumo: no seu próximo terço ou rosário, não se esqueça de:

1. rezar por uma intenção consciente;
2. rezá-lo sem pressa, calmamente, com recolhimento e paz!

Fonte: Aleteia

Recomendado para você
Continue lendo...

26 abril, 2019

Abuso litúrgico: banquete na Missa em paróquia de Sete Lagoas (MG)

14 comentários:
- Mesa posta durante a Missa da Ceia do Senhor. Foto: Facebook/Paróquia Santa Luzia - Sete Lagoas -

O número de invenções bizarras e abusos litúrgicos na Missa parece aumentar sempre mais durante a Semana Santa, de modo que concluído esse período, as imagens começam a circular pelas redes sociais entristecendo a muitos e causando escândalo.

Em 2018, o drone transportando o Santíssimo Sacramento durante a Vigília Pascal foi o ápice dos abusos e motivou até um artigo do Bispo da Diocese de Palmares (PE), Dom Henrique Soares da Costa, sobre a fidelidade litúrgica. Já em 2019 a 'novidade' da vez ficou por conta da Paróquia Santa Luzia, Diocese de Sete Lagoas (MG), que na Missa da Ceia do Senhor (Quinta-feira da Semana Santa) parecer ter promovido um banquete, no sentido ordinário da palavra.




Pelas imagens, não se sabe ao certo se a refeição aconteceu dentro da Missa, antes ou após ela, mas o que é possível dizer é que pratos, talheres e guardanapos são todos elementos estranhos à Liturgia da Missa e, portanto, não deveriam estar naquele local, em destaque.

Conforme diz a instrução Redemptionis Sacramentum, em seu número 77, "a celebração da Santa Missa, de nenhum modo, pode ser inserida como parte integrante de uma ceia comum, nem se unir com qualquer tipo de banquete".

Interessante observar que, apesar de existir um altar na igreja matriz da Paróquia Santa Luzia, deu-se preferência por celebrar utilizando uma mesa redonda, semelhante às de jantar, o que também desrespeita o que manda a instrução Redemptionis Sacramentum.

A - Foi utilizada uma mesa redonda ao invés do altar. Foto: Facebook/Paróquia Santa Luzia - Sete Lagoas -

"Não se celebre a Missa, a não ser por grave necessidade, sobre uma mesa de refeição" (RS, n.77). E no caso da igreja matriz da Paróquia Santa Luzia, o altar estava em condições, visto que antes foi celebrada a Santa Missa utilizando ele.




A mesma instrução, ainda no número 77, vai dizer que "se, por uma grave necessidade, deva-se celebrar a Missa no mesmo lugar onde depois será a refeição, deve-se mediar um espaço suficiente de tempo entre a conclusão da Missa e o início da refeição, sem que se exibam aos fiéis, durante a celebração da Missa, alimentos ordinários".

No caso da Paróquia de Sete Lagoas a grave necessidade citada no parágrafo anterior parece não existir, que o local conta um salão paroquial.

Na Vigília Pascal também houve abuso na Paróquia Santa Luzia


Contrariando o a Constituição Conciliar Sacrossanctum Concilium que diz que cada um deve "fazer tudo e só o que é de sua competência, segundo a natureza do rito e as leis litúrgicas" (SC, n.28), além de não ter sido usado o altar existente na igreja matriz da Paróquia Santa Luzia - novamente optou-se por utilizar a mesa redonda de jantar -, no final da Oração Eucarística três pessoas ergueram o cálice e outras três o Corpo de Cristo.

- Leigos erguem Corpo de Cristo e cálice. Foto: Facebook/Paróquia Santa Luzia - Sete Lagoas -

No entanto, as rubricas do Missal, grafadas em vermelho, em momento algum dizem que é da competência do fiel leigo fazer esse gesto, mas sim o sacerdote. Compete à assembleia, ao final do "por Cristo, com Cristo, em Cristo..." responder com a aclamação "amém". Esse é o momento da assembleia, e não erguer o cálice e a patena com a hóstia.

Em 2018, padre usou bicicleta na procissão de entrada


Não parece ser de hoje que as invenções bizarras ocorrem dentro da Liturgia da Missa na Paróquia Santa Luzia, Diocese de Sete Lagoas (MG).




Em janeiro de 2018, a página da paróquia já havia publicado um outro vídeo com um abuso litúrgico. Nas imagens, vê-se o padre entrando de bicicleta durante a procissão de entrada da Missa e, ao chegar no altar, ele vai correndo vai apressadamente à sacristia para se paramentar.



João Paulo II fez mandou que seguissem as normas litúrgicas


Na encíclica Ecclesia de Eucharistia, o Papa João Paulo II manifestou seu desgosto pelos abusos litúrgicos que acontecem frequentemente, particularmente na celebração da Santa Missa.

"Temos a lamentar, infelizmente, que sobretudo a partir dos anos da reforma litúrgica pós-conciliar, por um ambíguo sentido de criatividade e adaptação, não faltaram abusos, que foram motivo de sofrimento para muitos".




"Sinto o dever de fazer um veemente apelo para que as normas litúrgicas sejam observadas, com grande fidelidade, na celebração eucarística. Constituem uma expressão concreta da autêntica eclesialidade da Eucaristia; tal é o seu sentido mais profundo".

O Papa João Paulo II enfatizou ainda que "a liturgia nunca é propriedade privada de alguém, nem do celebrante, nem da comunidade onde são celebrados os santos mistérios".

Recomendado para você
Continue lendo...

17 abril, 2019

Muçulmano na torre de Notre Dame durante incêndio: verdade ou fake news?

Nenhum comentário:
- Fogo atingindo o telhado de Notre Dame. Foto: Wikemedia/Domínio Público -

O incêndio na Catedral de Notre Dame teve repercussão mundial e as fake news não deixaram de aparecer. Desde o evento, ocorrido em 15 de abril, várias pessoas estão compartilhando um vídeo levantando a suspeita de que havia um muçulmano em uma das torres na hora do incêndio.




As imagens em questão foram reproduzidas por uma TV de língua espanhola e tomou grandes proporções a partir do vídeo feito por alguém que filmou as cenas que eram reproduzidas na televisão. Nos textos publicados por quem compartilhava os vídeos, as descrições levantavam suspeitas sobre um "Colete Amarelo" (veste utilizada em alguns protestos locais) ou "muçulmano de vestes pretas".

São apenas cinco segundos de imagens na qual é realmente possível ver uma pessoa transitando com colete amarelo e roupas escuras em uma das torres de Notre Dame, ao que a maioria dos visualizadores do vídeo disseram ser um muçulmano, atribuído a este a culpa ou suspeita pelo incêndio.



Não era um muçulmano na torre, mas um bombeiro


No entanto, o homem que transitava na torre da Catedral de Notre Dame naquele momento era um dos bombeiros que atuava no combate às chamas. Ele, e mais outra equipe, já haviam entrado na igreja e, se o vídeo não tivesse sido parado, poucos segundo após seria possível ver mais membros da equipe no mesmo local.




No vídeo completo, com mais de três horas, transmitido pela conta do canal americano CNBC no YouTube é possível ver que muitos bombeiros conseguiram entrar na catedral para efetuar o combate às chamas. Então, não se trata de um muçulmano.



Veja também:


Os bombeiros parisienses, em resposta ao site francês CheckNews.fr, também confirmaram que aquele homem é um bombeiro. E, sobre o colete amarelo usado por ele, afirmaram que é um "colete da função".

Cabe destacar que apesar da recente série de ataques criminosos que atingiram ao menos 12 igrejas católicas na França, o incêndio na Catedral de Notre Dame está sendo tradado como acidental pelas autoridades.


Recomendado para você
Continue lendo...