13 abril, 2017

[VÍDEO] O dia em que um bêbado salvou Jesus

Nenhum comentário:
Cena do filme "A Paixão de Cristo", de Mel Gibson - Foto: captura de tela/

Todos os dias da Semana Santa concedem ao cristão a oportunidade de mergulhar de corpo e alma no mistério da Igreja, que se realiza a partir do mistério de Cristo e a Via Sacra é uma delas.

Durante a Semana Santa, fiéis de diversas paróquias realizam a encenação da Via Sacra, recordando a Paixão de Cristo. É um momento de profunda reflexão e piedade.

Entretanto, um fato curioso aconteceu em uma paróquia da cidade de São João Del Rei (MG). Durante a encenação, um homem, aparentemente alcoolizado, queria impedir que Jesus fosse condenado à morte.

“Solta Jesus, prende Barrabás”, gritava o homem que ainda completou dizendo “deixa Jesus em paz”.

Confira ocorrido neste vídeo.




Recomendado para você
Continue lendo...

12 abril, 2017

Papa Francisco: Jesus é a semente da nossa esperança

Nenhum comentário:
Papa Francisco durante a Audiência Geral desta quarta | Foto: captura de vídeo/CTV

Nesta Quarta-feira Santa (12/04), o Papa Francisco concedeu audiência geral aos fiéis na Praça São Pedro e destacou que Jesus trouxe ao mundo uma nova esperança, com o formato de uma semente, se fazendo pequeno.

“Quem podia imaginar que aquele que entrou triunfante na cidade teria sido humilhado, condenado e morto na cruz?”, questionou Francisco aos fiéis. “As esperanças daquele povo se desmancharam diante da cruz; mas nós cremos que precisamente Nele, crucificado, a nossa esperança renasceu. Que esperança é essa?”.

Segundo Papa Francisco, a frase que pode ajudar a entender esta esperança foi pronunciada justamente por Jesus depois de entrar em Jerusalém. “Se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto”.




Jesus, explicou o Papa, trouxe ao mundo uma nova esperança, com o formato de uma semente: se fez pequeno, como um grão de trigo; deixou a sua glória celeste para vir entre nós: “caiu na terra”. Mas não era suficiente.

“Se algum de vocês me perguntar: como nasce a esperança? Da cruz. Olhe para a cruz, olhe para Cristo crucificado e dali virá a esperança que jamais desaparece”, disse Francisco.

Para produzir fruto, Jesus viveu o amor até o fim, deixando-se romper pela morte como uma semente sob a terra. Justamente ali, no ponto extremo do seu abaixamento – que é também o ponto mais alto do amor – brotou a esperança.

Assim, na Páscoa, Jesus transformou o pecado em perdão, a morte em ressurreição, o medo em confiança. Esta é a transformação da Páscoa. “Eis o porquê ali, sobre a cruz, nasceu e renasce sempre a nossa esperança”.

“A esperança supera tudo, porque nasce do amor de Jesus”, prosseguiu Francisco. Quando se escolhe a esperança de Jesus, aos poucos é possível descobrir que o melhor modo de viver é o da semente, do amor humilde. “Não há outro modo de vencer o mal e dar esperança ao mundo”.




Papa Francisco afirma que esta parece ser uma lógica falida, “porque quem ama perde poder”. Entretanto, “para nós, possuir sempre nos leva a querer sempre mais”.

“Quem é voraz jamais está satisfeito”, recordou o Papa. E Jesus diz de modo claro: “quem ama a própria vida a perde”, ou seja: quem ama o próprio e vive por seus interesses, se enche de si e se perde. Quem ao invés aceita, é disponível e serve os outros, salva si mesmo e se torna semente de esperança para o mundo.

Contudo, a cruz é uma passagem obrigatória, mas a glória é a meta. É como uma mulher que, para dar à luz, sofre no parto. “É o que fazem as mães: dão outra vida. Sofrem, mas ficam felizes porque dão outra vida, dão sentido à dor. O amor é o motor que move a nossa esperança”, repetiu três vezes Francisco.

Ao concluir, Papa Francisco convidou os fiéis a se deixarem envolver pelo mistério de Jesus, que, “como grão de trigo, morrendo nos doa a vida”.

Com informações da Rádio Vaticano

Recomendado para você
Continue lendo...

06 abril, 2017

Em nota, Cardeal repudia descrimilalização do aborto

Nenhum comentário:

O Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, redigiu nota de repúdio à descrimilalização do aborto após as novas investidas de políticos e ativistas pró-aborto que apelam contra a vida ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Na nota, Dom Orani informa que o STF "logo julgará a matéria da petição que apela pela descriminalização da prática do aborto até as 12 semanas de vida" e convida os cidadãos a se manifestarem pacificamente em favor da vida.

"Que os cidadãos se manifestem pacificamente em sua opinião pública, valendo-se da democracia e de sua liberdade civil, e inclusive do caráter de constitucionalidade da defesa da vida humana. E, 'não tenhais medo' (Jo 6,20), tampouco desanimeis e não desistam da vida, que é Cristo Senhor Ressuscitado".




Confira a seguir a íntegra da nota de Dom Orani.

Caríssimos irmãos em Cristo: Paz e bênção no Senhor!

Quando a sociedade vive o clima de caminhada para a Páscoa, certeza da vida que vence a morte, é imperioso que de novo saiamos em defesa da vida daqueles que não tem voz. A sociedade necessita de construção de um clima de respeito à vida e não de incentivo a violência de matar inocentes. São muitas mortes em nossa sociedade!

Vivemos em tempos em que urge a oração e a unidade do povo cristão em favor de nossa tão querida nação, diante de tantas ameaças à dignidade humana e à paz. E de todas essas ameaças à dignidade, qual poderia ser maior além daquela que sentencia a morrer os cidadãos inocentes que apenas buscam viver? E os brasileiros que mais estão sob o risco dessa sentença são os filhos da pátria não-nascidos, perseguidos desde a sua concepção, como se víssemos um tipo daquilo que mostra o Apocalipse em sua narrativa sobre “a mulher que está prestes a dar a luz a um filho e que é perseguida pelo dragão que anseia loucamente devorar o filho que lhe nascer” (cf. Ap 12,1-17). E esse dragão hoje tem um nome, é chamado “cultura de morte” e ele alça seu vôo homicida sobre nossas cabeças para, através do aborto, ceifar vidas. A guerra contra a vida é o fim da paz e o início de uma era de destruição de tudo aquilo que há de bom e valoroso.

Jesus atribui a si a vida dos padecentes, pequeninos e inocentes: “O que fizerdes ao menor dos vossos irmãos, é a Mim que o fazeis. Quando recebeis uma criança, é a Mim que recebeis. Se em Meu nome oferecerdes um copo de água, é a Mim que o fazeis (Mc 9,37; Mt 10,42)”. Se, do contrário, fizermos o mal a estes que sofrem e são inocentes pequeninos, o fazemos a Ele. E ainda nas Escrituras, depois de Saulo perseguir os cristãos com sentença de morte, ele é parado no meio do caminho por uma intervenção de Cristo: “Saulo, Saulo, por que me persegues”? (At 9,4). Ora, como poderia ser perseguido quem subiu aos céus? Nos cristãos inocentes, nos que sofrem sem amparo e defesa! E digo-vos que Cristo mais uma vez está sendo perseguido nos inocentes que não têm sequer direito de ter seu nome civil e nem mesmo o de cristão, pois morrem antes pelas mãos deste sanguinário dragão. Porém, Cristo mesmo lhes dá um nome, o seu nome quando diz: “é a mim que o fazeis”. E reitera a estes algozes: “Por que me persegues?”; e se faz advogado dos inocentes diante do Pai.





O coração do nosso pastoreio está ferido porque a lança da morte mais uma vez fere o coração de Cristo. Sofremos agora as dores que Ele toma para si porque somos um com Nosso Senhor. Advogaremos com Ele até o fim, mesmo depois de qualquer sentença dada, e não nos cansaremos de recorrer a favor da vida como direito natural dos concebidos, que para nós, cristãos, também é um direito divino, pois Jesus mesmo atesta: “Eu sou a vida” (Jo 14,6).

Emergem novas investidas contra a vida, que envolvem políticos e ativistas que apelam aos membros do STF, este que logo julgará a matéria da petição que apela pela descriminalização da prática do aborto até as 12 semanas de vida. Nós, pastores do povo de Deus, repudiamos com veemência o aborto em todas as suas formas, bem como sua descriminalização. Demandamos, em respeito à vida e ao povo brasileiro, que as autoridades civis somem-se a nós nesta busca pela paz e pelo progresso de nossa nação, que começa no direito à vida, defendido sem nenhuma exceção desde o momento de sua concepção até seu fim natural.

Que os cidadãos se manifestem pacificamente em sua opinião pública, valendo-se da democracia e de sua liberdade civil, e inclusive do caráter de constitucionalidade da defesa da vida humana. E, “não tenhais medo” (Jo 6,20), tampouco desanimeis e não desistam da vida, que é Cristo Senhor Ressuscitado.

Saudamos os participantes do movimento pró-vida, das associações e grupos de apoio à mulher e ao nascituro. Vocês não estão sozinhos. Têm a nossa oração e apoio fraterno. Convocamos que mais pessoas se unam a essa batalha pela vida. Estejamos unidos na Eucaristia, que é a força de nosso labor pela vida.

Que a Páscoa que se aproxima preencha os nossos corações com a certeza da vitória da vida sobre a morte e da caminhada histórica de um povo que não perde a esperança porque baseada n’Aquele que ressuscitou e vive presente entre nós.

Rio de Janeiro, 06 de abril de 2017
D. Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist
Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro

Recomendado para você
Continue lendo...

04 abril, 2017

Em abril, Papa Francisco reza pelos jovens

Nenhum comentário:
Jovens participantes da JMJ Rio 2013 - Foto: Flickr Jornada Mundial da Juventude

No vídeo divulgado pelo Vaticano nesta terça-feira (04), o Papa Francisco declarou que as intenções de oração para o mês de abril deste ano tem o foco nos jovens, definidos pelo Pontífice como os "protagonistas da mudança".

"Sei que vocês, jovens, não querem viver na ilusão de uma liberdade que se deixa levar pela moda do momento, mas que apostam alto", afirmou o Santo Padre.




Papa Francisco pediu aos jovens para não deixarem outros sejam os protagonistas e os incentivou a lançar o olhar para o futuro.

"Vocês, jovens, são os que têm o futuro. Eu lhes peço que o construam, que trabalhem por um mundo melhor", disse.

A todos os cristãos, o Santo Padre pediu que rezem junto com ele pelos jovens, "para que saibam responder com generosidade à própria vocação e se mobilizem pelas grandes causas do mundo".




Recomendado para você
Continue lendo...

31 março, 2017

Igreja Universal chama eucaristia de "pão do mal" e faz uso de hóstias para divulgar evento

Nenhum comentário:

[Atualizado em 03/04/2017, às 9h04] A Igreja Universal do Reino de Deus atacou a eucaristia ao criar uma campanha pedindo que seus seguidores levassem hóstias, definidas pela instituição como "o pão do mal", para o culto onde receberiam "o verdadeiro pão da vida".

O fato aconteceu quase 22 anos após o episódio em que, na época, um pastor daquela instituição desferiu chutes a uma imagem de Nossa Senhora Aparecida e, tal como naquela ocasião, causou a indignação dos católicos.




Desta vez, a franquia da Universal em Taquaritinga (SP), utilizou um símbolo católico para associá-lo ao mal. O material utilizado para a divulgação, continha, além da hóstia, uma instrução de como os seguidores da instituição deveriam proceder.

"Coloque esse pão em um local visível aos seus olhos; deixe em sua casa até a data determinada; no dia 26 de março, leve com você em uma das reuniões da Igreja Universal do Reino de Deus", dizia o conteúdo divulgado.

Os produtores daquele material alegavam que no dia 26 de março 2017, iriam "trocar o pão do mal pelo pão da vida, e determinar que todos tenham uma vida nova".

Em mensagem enviada ao Sim, sou Católico pelo Facebook, os administradores da página da Diocese de Jaboticabal informaram que "esta atitude escandalizou muitíssimos fiéis católicos, que viram nos dizeres que acompanham o símbolo da hóstia uma mensagem subentendida de que a Eucaristia - sacramento de vida eterna instituído por Nosso Senhor Jesus Cristo - é algo negativo e maléfico que deve ser trocado por um tal 'pão da vida'".

"É certo que todos temos a liberdade e o direito de expressão, mas chegamos ao limite do inaceitável, que ameaça a boa convivência entre pessoas de distintas crenças a partir do momento que nos escandaliza, bem como a todo o nosso povo, ofendendo a nossa sensibilidade religiosa", afirma a nota enviada pela administração da página da Diocese de Jaboticabal.

A Diocese reafirmou a fé na presença de Cristo na Eucaristia e pontuou que "os símbolos, doutrinas e costumes católicos são sagrados e, portanto, devem ser respeitados".

O departamento de comunicação social e de relações institucionais da Universal enviou nota ao Sim, sou Católico onde esclarece que "em nenhum dos 7.157 templos e catedrais da Universal no Brasil, jamais foi afirmada tal barbaridade".

No texto enviado, a instituição afirma que a notícia foi divulgada de forma inverídica e que "nunca uma só palavra neste sentido foi exposta em qualquer veículo oficial da Universal na TV, no rádio, jornal, livro ou Internet".

Em desacordo?


A nota enviada pelo departamento de comunicação social e de relações institucionais da Universal não explicou o significado da hóstia anexada ao folheto de publicidade.

Todo o ato promovido pelo braço da Igreja Universal de Taquaritinga parece contradizer o que o líder da instituição, Edir Macedo, disse em entrevista ao programa Conexão Repórter, do SBT, em abril de 2015.

Na ocasião, Macedo afirmou que não é o estilo da instituição agredir religião nenhuma. "Nós exigimos respeito para conosco. Ora, se nós exigimos respeito para com a nossa crença, para com a nossa fé, nós temos que ter respeito para com a crença alheia", afirmou.


Recomendado para você
Continue lendo...

29 março, 2017

Papa Francisco convida a crer em Deus para sair do desespero e da morte

Nenhum comentário:
Papa abençoa uma menina ao início da Audiência Geral. Foto: Lucía Ballester / ACI Prensa

(ACI) Na catequese desta quarta-feira na Audiência Geral, o Papa Francisco recordou a figura de Abraão, “Pai da fé”, que acreditou contra toda esperança, confiou e descobriu que Deus faz sair do desespero.

Abraão também “é pai na esperança e isso porque em sua vida já podemos acolher o anúncio da ressurreição, da vida nova que vence o mal e a própria morte”.

“O Deus que se revela a Abraão é o Deus que salva, o Deus que faz sair do desespero e da morte, o Deus que chama à vida. Na história de Abraão, tudo se torna um hino ao Deus que liberta e regenera, tudo se torna profecia”.




O Papa comentou a carta de São Paulo aos Romanos, que diz que Abraão, “acreditou, sólido na esperança, contra toda esperança”, dado que Deus lhe tinha prometido descendência embora fosse idoso e sua mulher estéril. “Neste ponto, Paulo nos ajuda a compreender a relação muito estreita entre a fé e a esperança”, acrescentou.

“Nossa esperança não se apoia sobre raciocínios, previsões e garantias humanas, se manifesta lá onde não há mais esperança, onde não há nada mais a esperar, precisamente como ocorreu com Abraão, diante da sua morte iminente e da esterilidade da sua mulher Sara”.

Francisco assegurou que “a grande esperança está enraizada na fé e precisamente por isso é capaz de ir além de qualquer esperança. Sim, porque não se baseia em nossa palavra, mas na Palavra de Deus”,

“Neste sentido somos chamados a seguir o exemplo de Abraão, o qual mesmo diante da evidência de uma realidade que parece voltada à morte, confia em Deus”.

“Este é o paradoxo e, ao mesmo tempo, o elemento mais forte, mais elevado, da nossa esperança! Uma esperança baseada em uma promessa que do ponto de vista humano parece incerta e imprevisível, mas que se manifesta até mesmo diante da morte, quando quem a promete é o Deus da Ressurreição e da vida”.

O Santo Padre concluiu pedindo a Deus “a graça de permanecer firmes não tanto em nossas seguranças, em nossas capacidades, mas na esperança que brota da promessa de Deus, como verdadeiros filhos de Abraão”. Assim, “nossa vida terá uma nova luz, na certeza de que Aquele que ressuscitou o seu Filho ressuscitará a nós também, tornando-nos uma só coisa com Ele, junto de todos os nossos irmãos na fé”.

Texto publicado originalmente em ACI Digital

Recomendado para você
Continue lendo...