19 julho, 2017

Facebook explica o que ocasionou o bloqueio de várias páginas católicas

Nenhum comentário:
Imagem referencial de Facebook / Foto: Pixabay (domínio público) - 

O Facebook se manifestou em relação ao bloqueio de dezenas de páginas católicas, fato ocorrido na segunda-feira, 17 de julho de 2017. De acordo com a rede social, o incidente foi ocasionado por um "mecanismo de detecção de spam na plataforma".




Ao Grupo ACI, um porta-voz do Facebook informou que "as páginas foram restabelecidas" e que "o incidente foi ocasionado acidentalmente por um mecanismo de detecção de spam na plataforma. Pedimos sinceras desculpas pelos inconvenientes que isso possa ter gerado".

As páginas que haviam sido bloqueadas foram restabelecidas na noite de 18 de julho. A justificativa do Facebook era aguardada pelos administradores de seguidores, já que o bloqueio foi sem notificação.

Dentre que foram afetadas, estão Papa Francisco Brasil (3,8 milhões de seguidores), Nossa Senhora Cuida de Mim (3,1 milhões de seguidores), Meu Imaculado Coração Triunfará (920 mil seguidores), My Mother Mary (página americana com 4,1 milhões de seguidores) entre outras.


Recomendado para você
Continue lendo...

Facebook bloqueia páginas católicas sem justificativa

Nenhum comentário:
Imagem referencial de Facebook /Foto: Pixabay (domínio público) - 

Sem dar nenhuma justificativa, o Facebook bloqueou diversas páginas católicas causando surpresa aos administradores, editores e seguidores destas. O caso ocorreu na segunda-feira, 17 de julho de 2017.

De acordo com relatos dos administradores das páginas afetadas, elas foram excluídas ou bloqueadas gradualmente durante o dia e sem nenhum aviso prévio ou notificação do Facebook.

"Logo após o cancelamento, nosso site, Instagram, Twitter, Google + dentre outras redes sociais ficaram lotadas de mensagens onde fiéis e seguidores perguntavam sobre o que poderia ter acontecido com a página que não estava no ar", relataram os administradores do blog Nossa Senhora Cuida de Mim.




No dia seguinte após o bloqueio por parte do Facebook, algumas páginas já haviam sido restauradas pela rede social e conseguiram retomar à atividade, mas tanto os administradores quanto os seguidores ainda estão carentes de uma justifica dos gerenciadores da rede social sobre a ocorrência.

Dentre as páginas foram afetadas, estão Papa Francisco Brasil (3,8 milhões de seguidores), Nossa Senhora Cuida de Mim (3,1 milhões de seguidores), Meu Imaculado Coração Triunfará (920 mil seguidores), My Mother Mary (página americana com 4,1 milhões de seguidores) entre outras.

O site ACI Ditigal fez uma matéria completa sobre o assunto e entrevistou também o administrador de uma das páginas atingidas. Confiram no link abaixo.
http://www.acidigital.com/noticias/paginas-catolicas-denunciam-ter-sido-bloqueadas-por-rede-social-14215/

Recomendado para você
Continue lendo...

10 julho, 2017

Vaticano reforça cuidado para evitar abusos contra a Eucaristia

Nenhum comentário:
Imagem referencial - Foto: RobertCheaib/Pixabay -

A Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos emitiu uma circular aos bispos para recordar sobre o cuidado que se precisa a "tudo aquilo que é necessário para a celebração da Ceia do Senhor", em especial, o pão e o vinho.

Confira a íntegra do documento assinado na Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, em 15 de junho de 2017, e divulgado no último sábado.




Carta circular aos Bispos sobre o pão e o vinho para a Eucaristia


1. A Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, por determinação do Santo Padre Francisco, dirige-se aos Bispos diocesanos (ou aqueles que pelo direito lhe são equiparados) recordar-lhes que lhes compete providenciar dignamente tudo aquilo que é necessário para a celebração da Ceia do Senhor (cf. Lc 22,8.13). Ao Bispo, primeiro dispensador dos mistérios de Deus, moderador, promotor e garante da vida litúrgica na Igreja que lhe está confiada (cf. CIC can. 835 §1) compete-lhe vigiar a qualidade do pão e do vinho destinado à Eucaristia e, por isso, também, aqueles que o fabricam. A fim de ser uma ajuda, lembramos as normas existentes e sugerem-se algumas indicações práticas.

2. Enquanto até agora, de um modo geral, algumas comunidades religiosas dedicavam-se a preparar com cuidado o pão e o vinho para a celebração da Eucaristia, hoje estes vendem-se, também, em supermercados, lojas ou mesmo pela internet. Para que não fiquem dúvidas acerca da validade desta matéria eucarística, este Dicastério sugere aos Ordinários que deem indicações a este respeito; por exemplo, garantindo a matéria eucarística mediante a concessão de certificados.

O Ordinário deve recordar aos sacerdotes, em particular aos párocos e aos reitores das igrejas, a sua responsabilidade em verificar quem é que fabrica o pão e o vinho para a celebração e a conformidade da matéria.

Compete ao Ordinário informar e advertir para o respeito absoluto das normas os produtores de vinho e do pão para a Eucaristia.

3. As normas acerca da matéria eucarística indicadas no can. 924 do CIC e nos números 319 a 323 da Institutio generalis Missalis Romani, foram já explicadas na Instrução Redemptionis Sacramentum desta Congregação (25 de Março de 2004):

a) “O pão que se utiliza no santo Sacrifício da Eucaristia deve ser ázimo, unicamente feito de trigo, confeccionado recentemente, para que não haja nenhum perigo de que se estrague por ultrapassar o prazo de validade. Por conseguinte, não pode constituir matéria válida, para a realização do Sacrifício e do Sacramento eucarístico, o pão elaborado com outras substâncias, embora sejam cereais, nem mesmo levando a mistura de uma substância diversa do trigo, em tal quantidade que, de acordo com a classificação comum, não se pode chamar pão de trigo. É um abuso grave introduzir, na fabricação do pão para a Eucaristia, outras substâncias como frutas, açúcar ou mel. Pressupõe-se que as hóstias são confeccionadas por pessoas que, não só se distinguem pela sua honestidade, mas que, além disso, sejam peritas na sua confecção e disponham dos instrumentos adequados” (n. 48).

b) “O vinho que se utiliza na celebração do santo Sacrifício eucarístico deve ser natural, do fruto da videira, puro e dentro da validade, sem mistura de substâncias estranhas… Tenha-se diligente cuidado para que o vinho destinado à Eucaristia se conserve em perfeito estado de validade e não se avinagre. Está totalmente proibido utilizar um vinho de quem se tem dúvida quanto ao seu caráter genuíno ou à sua procedência, pois a Igreja exige certeza sobre as condições necessárias para a validade dos sacramentos. Não se deve admitir sob nenhum pretexto outras bebidas de qualquer género, pois não constituem matéria válida” (n. 50).




4. A Congregação para a Doutrina da Fé, na sua Carta-circular aos Presidentes das Conferências Episcopais acerca do uso do pão com pouca quantidade de glúten e do mosto como matéria eucarística (24 de Julho de 2003, Prot. n. 89/78-17498), indicou as normas para as pessoas que, por diversos e graves motivos, não podem consumir pão normalmente confeccionado ou vinho normalmente fermentado:

a) “As hóstias completamente sem glúten são matéria inválida para a eucaristia. São matéria válida as hóstias parcialmente desprovidas de glúten, de modo que nelas esteja presente uma quantidade de glúten suficiente para obter a panificação, sem acréscimo de substâncias estranhas e sem recorrer a procedimentos tais que desnaturem o pão” (A. 1-2).

b) “Mosto, isto é, o sumo de uva, quer fresco quer conservado, de modo a interromper a fermentação mediante métodos que não lhe alterem a natureza (p. ex., o congelamento), é matéria válida para a eucaristia” (A. 3).

c) “Os Ordinários têm competência para conceder a licença de usar pão com baixo teor de glúten ou mosto como matéria da Eucaristia em favor de um fiel ou de um sacerdote. A licença pode ser outorgada habitualmente, até que dure a situação que motivou a concessão” C. 1).

5. Por outro lado, a mesma Congregação decidiu que a matéria eucarística confeccionada com organismos geneticamente modificados pode ser considerada válida (cf. Carta ao Perfeito da Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, 9 de Dezembro de 2013, Prot. n. 89/78 – 44897).

6. Aqueles que confeccionam o pão e produzem o vinho para a celebração, devem ter a consciência de que o seu trabalho destina-se ao Sacrifício Eucarístico, e por isso, é-lhes requerido honestidade, responsabilidade e competência.

7. Para que sejam observadas as normas gerais, os Ordinários podem utilmente meter-se de acordo ao nível da Conferência Episcopal, dando indicações concretas. Considerando a complexidade de situações e circunstâncias, como é o facto da negligência pelo sagrado, adverte-se para a necessidade prática de que, por incumbência da Autoridade competente, haja quem efectivamente garanta a autenticidade da matéria eucarística da parte dos produtores como da sua conveniente distribuição e venda.

Sugere-se, por exemplo, que a Conferência Episcopal encarregue uma ou duas Congregações religiosas, ou um outro Ente com capacidade para verificar a produção, conservação e venda do pão e do vinho para a Eucaristia num determinado país ou para outros países para os quais se exporta. Recomenda-se, ainda, que o pão e o vinho destinados à Eucaristia tenham um tratamento conveniente nos lugares de venda.

Da sede da Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, 15 de Junho de 2017.

Robert Card. Sarah
Prefeito


Recomendado para você
Continue lendo...

26 junho, 2017

[VÍDEO] Bispo fala sobre padres cantores e crescimento de seitas no Brasil

Nenhum comentário:
Durante uma entrevista em 2009, o Administrador Apostólico da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney, Dom Fernando Areas Rifan falou abertamente sobre sua opinião a respeito dos padres cantores e o crescimento das seitas no Brasil. Confira no vídeo a seguir.


Recomendado para você
Continue lendo...

22 junho, 2017

[VÍDEO] Padre salta de asa delta com batina e tudo

Nenhum comentário:
O sacerdote da Administração Apostólica São João Maria Vianney, Padre Rafael Lugão, saltou de asa delta no Rio de Janeiro de batina e tudo. O salto aconteceu em setembro de 2014, mas o clérigo publicou o vídeo no YouTube somente em 2017. Segundo ele, durante o voo se sentiu "a pessoa mais livre e feliz do mundo".

Confira como foi a experiência do Padre Rafael no vídeo abaixo.



Recomendado para você
Continue lendo...

21 junho, 2017

"Não devia ter falado aquilo", diz pastor que fez brincadeiras ao falar de Maria

Nenhum comentário:
Pastor Cláudio Duarte - foto: captura de vídeo no YouTube - 

O pastor Cláudio Duarte publicou uma mensagem em vídeo pedindo desculpas aos católicos pelas brincadeiras que fez ao falar de Nossa Senhora.

Após a polêmica gerada pela divulgação de um vídeo onde o pastor Cláudio satiriza Nossa Senhora e afirma ter dito e, durante pregação em um templo, que Maria não é a mãe de Deus, o mesmo reconheceu que não deveria ter falado aquilo.

“Em uma das minhas ministrações eu fiz uma brincadeira que não devia, disse o pastor.




Segundo Cláudio, a brincadeira acabou “criando uma situação desagradável” para pessoas que o respeitam. “Com certeza nesse momento eu fui um tolo e fiz uma brincadeira com algo que não devia”.

O pastor concluiu seu vídeo pedindo “desculpas à comunidade católica pelo desrespeito” cometido e completou afirmando que “temos posicionamentos deferentes, mas isso não nos impede de caminhar próximos”.

Maria é verdadeiramente Mãe de Deus


O pastor é um excelente humorista e um orador fantástico, mas como teólogo deixa a desejar. Ao negar que Maria seja mãe de Deus, está negando, também, o fato de que Jesus é Deus e Senhor e, portanto, a pregação apostólica e a própria redenção. Essa é uma verdade proclamada pelos cristãos há muito tempo.
Maria é verdadeiramente Mãe do Deus encarnado, Jesus Cristo. Já nos primeiros três séculos, os Padres da Igreja utilizaram as definições Mater Dei (em latim) ou Theotókos (em grego), que significam Mãe de Deus, tais como Inácio (107), Orígenes (254), Atanásio (330) e João Crisóstomo (400). Essa doutrina foi definida dogmaticamente pelo Terceiro Concílio Ecumênico, realizado em Éfeso, em 431. Jesus é plenamente homem e plenamente Deus. Maria foi Mãe deste Deus feito homem, que é Jesus; assim, Maria é Mãe de Deus. É uma realidade que dá fundamento a todas as outras. É uma verdade, em primeiro lugar, sobre Cristo, pois é preciso afirmar que Jesus é verdadeiramente Deus para que possamos falar que Maria é Mãe de Deus.

Não se deve condenar tudo que o dito pastor fala como errado. Em alguns pontos ele se aproxima da verdade e em outros ele a diz de modo muito certeiro. Vale o conselho do apóstolo: “Examinai tudo, guardai o que é bom, apartai-vos de toda espécie de mau” (I Ts 5,21).

Recomendado para você
Continue lendo...