26 dezembro, 2019

Existe alguma cláusula que permita mudar os padrinhos de Batismo?


- Imagem referencial. Foto: Unsplash/Joseph Applegate -

Uma leitora nos enviou essa dúvida, pois, segundo ela, a pessoa que foi escolhida para madrinha de seu neto hoje não mais contato nenhum. Daí a pergunta: existe alguma cláusula da Igreja que permita mudar os padrinhos de Batismo?

Realmente é uma decepção quando um padrinho abandona seu afilhado e, por isso, antes de escolhê-los é importante rezar e verificar se eles se encaixam naquelas 5 condições necessárias para desempenhar esse papel tão importante.




Tal como não é possível batizar a mesma pessoa duas vezes, não há como trocar de padrinhos após o Batismo.

Da mesma forma que, enquanto católicos, quando fazemos a profissão de fé dizemos: "Professo um só Batismo para a remissão dos pecados", como o Batismo é só um, não haverá outro para mudar o padrinho.

No entanto, a decepção não deve ser pela ausência de presentes ou de visitas, visto que isso é algo secundário. Deve-se ficar triste quando os padrinhos deixam de desempenhar o papel de, como diz o Código de Direito Canônico, "conjuntamente com os pais, apresentar ao batismo a criança a batizar e esforçar-se por que o batizado viva uma vida cristã consentânea com o batismo e cumpra fielmente as obrigações que lhe são inerentes" (Cân. 872).



Compartilhe:

2 comentários:

  1. E se q madrinha for lésbica e participar de candomblé?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A situação parece entrar naquilo que diz o cânone 874 do Código de Direito Canônico: o padrinho "seja católico, confirmado, já tenha recebido o santíssimo sacramento da Eucaristia e leve uma vida de acordo com a fé e o encargo que vai assumir".

      - Sua madrinha é batizada Igreja Católica? Se sim, ela é católica.

      - Ela já tinha recebido a Eucaristia? Se sim, até aqui estava de acordo.

      - Ela leva uma vida de acordo com a fé e o encargo que assumiu? Não, pois abandonou a fé católica ao participar do candomblé e escolher ter adotado a prática homossexual.

      Contudo, se na época do batismo ela não era membro do candomblé e nem homossexual, ela, de fato, é sua madrinha até hoje (com a observação de ter abandonado a fé católica). Agora, se ela já tinha outra prática, foi apenas testemunha de seu batismo.

      Ainda assim não é possível "trocar" de padrinho, pois para isso seria necessário realizar um novo batizado e isso não é possível.

      Excluir