18 outubro, 2016

Qual a diferença entre sacramentais e sacramentos?



As palavras sacramental e sacramento costumam causar certa dúvida em alguns cristãos católicos. Como são nomes muito parecidos, a confusão é quase certa. Entretanto, apesar da semelhança, estas são coisas bem diferentes, mas que ao final ajudam na santificação do povo de Deus.

Como diz o Catecismo da Igreja Católica, sacramentais “são instituídos pela Igreja em vista da santificação de certos mistérios seus, de certos estados de vida, de circunstâncias muito variadas da vida cristã, bem como do uso das coisas úteis ao homem”.



Pela definição do Catecismo, já se percebe que sacramental e sacramento não são a mesma coisa, mas para dar um exemplo: os sacramentos são os sinais e instrumentos pelos quais o Espírito Santo difunde a graça de Cristo. Os sacramentais não conferem essa graça, mas, pela oração da Igreja, preparam os fiéis para recebê-la.

Outro exemplo, e esse muito mais claro, que pode ajudar a perceber a diferença dos sacramentais em relação aos sacramentos pode ser encontrado quando são listados alguns “modelos” de sacramental. Medalhas, crucifixos, rosário, escapulário: esses são sacramentais. Também o são as orações, presentes nas bênçãos (de alimentos, de oficinas, de casas, carros, imagens, máquinas etc.), nas consagrações (de igrejas, altares, cálices, Abades, Virgens, crianças após o Batismo, esposa, esposo) e nos exorcismos.


Quais e quantos são os sacramentais?


Saber quantos são os sacramentos é fácil: são sete. Mas os sacramentais são muitos e por este motivo muitos teólogos preferem separa-los em seis grupos.

1 - Orans (orante): algumas orações, tais como o Pai-Nosso e as orações que, publicamente, costuma rezar a Igreja: as ladainhas, por exemplo.

2 - Tinctus (molhado): o uso da água benta; certas unções que se usam na administração de alguns sacramentos e que não pertencem à sua essência.

3 - Edens (alimentação): indica o uso do pão bento ou outros alimentos santificados pela bênção de um sacerdote.

4 - Confessus (confessado): quando se reza o Confiteor, individual ou publicamente para pedir perdão a Deus pelas faltas cometidas das quais já não nos lembramos mais. Neste momento, Ele nos cumula de graças.

5 - Dans (dado): esmolas espirituais ou corporais, bem como os atos de misericórdia, prescritos pela Igreja. Acima das esmolas que possamos dar, está o bem espiritual que possamos fazer ao próximo. Além de esse ato ser um sacramental, adquirimos uma série de méritos pela caridade fraterna e pelas outras virtudes que a acompanham.

6 - Benedicens (bendizente): as bênçãos que dão o Papa, os Bispos e os sacerdotes; os exorcismos; a bênção de reis, abades ou virgens e, em geral, todas as bênçãos sobre coisas santas.

Para terminar...


Quando o fiel, ao entrar em uma Igreja, molha a mão na água benta (mesmo que não molhe a mão na água benta), faz genuflexão em respeito e adoração a Cristo presente no sacrário e reza a oração uma oração tradicional da Igreja tendo total consciência de cada um destes atos e fé: isto é um sacramental.

Para ter mais informações sobre este assunto, é recomendada a leitura no artigo do Catecismo da Igreja Católica que fala sobre os sacramentais. Este artigo está contido entre os parágrafos 1667 e 1679 do documento.


Recomendado para você


Compartilhe :