13 janeiro, 2016

As 6 etapas da celebração do sacramento da Reconciliação que são pouco lembradas


Existem 6 etapas do sacramento da Reconciliação

Existe na Igreja Católica a celebração do sacramento da Reconciliação e isso não é novidade para ninguém. O que poucos católicos sabem é que existem algumas etapas que compõe o rito que deve ser seguido na hora da confissão e, infelizmente, alguns padres não realizam.

Sim, existe um ritual da Santa Igreja que orienta sobre a correta celebração da penitência e que esses passos são citados lá. Nesta postagem vamos tratar especificamente da celebração reconciliação de um só penitente. Em outros textos trataremos dos outros modos de celebração deste sacramento.




Basicamente, são seis etapas que serão apresentadas logo abaixo para que possa viver melhor este sacramento.

1 - Preparação do penitente e do sacerdote


Sacerdote e penitente devem estar preparados para a celebração deste sacramento. Tal preparação deve se dar, sobretudo, por meio da oração. Ao sacerdote é recomendável que invoque o Espírito Santo para Ele o ilumine e o enriqueça com a caridade. O penitente, em sua oração, deve comparar sua vida com os mandamentos de Cristo e pedir a Deus a remissão dos seus pecados.

O penitente não precisa se preparar diante do confessionário. Ele pode buscar uma igreja ou capela para fazê-lo e após isto se dirige à confissão.

2 - Acolhimento do penitente


Chegando o penitente ao confessionário, o sacerdote o acolhe com palavras e gestos de caridade e o convida à confiança em Deus. Este convite pode ser feito com as palavras abaixo:

“Deus, que ilumina os nossos corações, te dê a graça de reconheceres com verdade os teus pecados e a sua misericórdia”.



Em seguida, o próprio penitente inicia fazendo o sinal da cruz enquanto diz: em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, amém.

Se o penitente e confessor não se conhecem, é bom que o fiel manifeste ao sacerdote a sua condição (dizendo se é leigo, casado, consagrado, religioso, sacerdote), a quanto tempo não se confessa e tudo mais que for útil para que o padre confessor possa exercer da melhor forma o seu ministério.

3 - Sendo oportuno, leitura da palavra de Deus


Após isto, sacerdote ou penitente podem ler um trecho da Sagrada Escritura ainda antes do início da confissão dos pecados, pois só iluminado pela palavra de Deus é que o fiel poderá conhecer seus pecados e ouvir o chamado à conversão. Esse momento pode ser realizado antes da celebração do sacramento, servindo assim de auxílio na preparação.




4 - Confissão dos pecados


Agora, neste momento, o penitente confessa os seus pecados e, caso queira, pode começar pela fórmula de confissão geral: confesso a Deus todo-poderoso. Enquanto o fiel expõe os pecados, o sacerdote, se preciso, deve ir o orientando para que seja uma confissão mais completa possível e ir ajudando com conselhos para que ele siga uma vida nova em Cristo.


Uma observação que deve ser destacada é que se o penitente tiver sido causador de danos e/ou escândalos, o confessor deve leva-lo ao propósito de reparação.

Tendo o penitente terminado de se confessar, o sacerdote vai impor a satisfação. Está pode ser constituída de uma oração, abnegação de si mesmo, serviço ao próximo, obras de misericórdia.

5 - Oração de contrição e absolvição do sacerdote


Neste momento, o penitente irá manifestar sua contrição, ou seja, seu arrependimento por meio de uma oração na qual suplica o perdão de Deus. É aconselhável que esta oração seja composta por palavras da Sagrada Escritura, como o exemplo abaixo:

“Lavai-me, Senhor, da minha iniquidade, e purificai-me de todas as faltas. Porque eu reconheço os meus pecados e tenho sempre diante de mim as minhas culpas” (Sl 50, 4-5).

Tendo o penitente pronunciado seu ato de contrição, o confessor estenderá suas mãos (ou ao menos a mão direita) sobre a cabeça do fiel e pronunciará a fórmula de absolvição, que deve conter estas palavras essenciais: eu te absolvo dos teus pecados, em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Nas últimas palavras (em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo), o padre faz o sinal da cruz sobre o penitente.

6 - Proclamação do louvor e despedida do penitente


É a última parte da celebração do sacramento da reconciliação. Esta é constituída por um diálogo e a despedida. Ou seja, o padre dirá: dai graças ao Senhor, porque Ele é bom; ao que o penitente responde: porque é eterna a sua misericórdia.

Após o confessor despede o penitente com as palavras: o Senhor perdoou os teus pecados. Vai em paz.

Recomendado para você
Compartilhe :

2 comentários:

  1. este texto foi ótimo a reconciliação é um grande benefício espiritual e temporal

    ResponderExcluir
  2. Que bom que você gostou do texto, Beth. São coisas simples, mas é um ritual que, dentre outras coisas, ajuda os fiéis a conhecerem a riqueza deste sacramento.

    ResponderExcluir