14 junho, 2019

Festas Juninas: é importante lembrar seu caráter religioso




Muito além das comemorações seculares que são realizadas em no mês de junho, como parte da cultura e folclore brasileiro, as Festas Juninas têm um caráter religioso por celebrem três dos mais populares santos no país.

Tanto em sua origem como expressões, as Festas Juninas são expressão da religiosidade popular brasileira e recordam Santo Antônio (13 de junho), São João Batista (cuja natividade é celebrada em 24 de junho) e São Pedro (29 de junho).




Muito participal das Festas Juninas, mas nem todos sabem que fazem referência aos três dos santos mais populares no Brasil. Outros até desconhecem a história desses santos. Confira abaixo um pouquinho sobre cada um.

Santo Antônio


Santo Antônio é um dos santos mais populares no mundo inteiro. Nasceu em Lisboa (Portugal) em 1195 e foi-lhe dado como nome Fernando de Bulhões e Taveira de Azevedo. Quando torno-se frade franciscano, aos 25 anos, adotou o nome de Antônio. Pregou na Itália e na França, recebendo as alcunhas de "Doutor Evangélico", "Martelo dos hereges" e foi proclamado Doutor da Igreja pelo Papa Pio XII em 16 de janeiro de 1946. É chamado "o santo dos milagres", tal a quantidade de fatos extraordinários e sobrenaturais que acompanhavam o seu ministério.

Veja também:


Santo Antônio é considerado "padroeiro dos pobres", invocado diante de situações difíceis. Morreu em Pádua (Itália) em 13 de junho de 1231, aos 35 anos. Foi canonizado pelo Papa Gregório IX em 30 de maio de 1232, menos de um ano depois de sua morte (é a segunda canonização mais rápida da história.




São João Batista


Além de ser primo de Jesus, São João Batista foi quem o batizou no rio Jordão e é considerado o santo mais próximo a ele. Além do próprio Jesus e de Nossa Senhora, é o único santo do qual a Igreja celebra o nascimento.

São Pedro


Um dos doze apóstolos, São Pedro foi o escolhido por Jesus ter as chaves do céu, recebendo do próprio Cristo a autoridade de pastorear a Igreja, interligando-a ao céu. Foi ele o primeiro Papa e seu pontificado é, até hoje, o mais longo da história (37 anos).


Recomendado para você
Compartilhe :

0 comentários:

Postar um comentário