03 novembro, 2017

Sacerdote católico aborda o suicídio entre jovens como tema de seu livro


- Imagem: divulgação/Edições Loyola -

No momento em que há um aumento do número de reportagens sobre o suicídio entre jovens, a Edições Loyola promoveu na Bienal do Livro do Rio de Janeiro, o lançamento da obra “E foram deixados para trás – Uma reflexão sobre o fenômeno do suicídio”, autoria do Padre Licio de Araujo Vale.




Filho de um suicida, Padre Licio aborda o assunto a partir de sua experiência pessoal e pastoral, somada a uma cuidadosa pesquisa e depoimentos que fazem do livro um instrumento de apoio para a compreensão desse tema pouco falado e que, por essa razão, tornou-se um verdadeiro tabu.

 “A ideia de escrever estas páginas nasceu exatamente do desejo de contribuir para lançar luzes sobre o problema do suicídio, colaborar para que se fale mais a respeito da questão, aumentar a conscientização, partilhar como filho a experiência vivida pela minha família, cooperar com a superação do tabu em relação ao tema, defender a vida e divulgar a prevenção”, diz o autor na apresentação.

Veja também:


Logo no primeiro capítulo, ele apresenta números alar-mantes que estão escondidos por trás do silêncio.  Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o suicídio é responsável por uma morte a cada 40 segundos no mundo.

De acordo com dados da ONU, de 2012, mais de 800 mil pessoas no mundo morrem por suicídio todos os anos, sendo ele a segunda principal causa de morte entre jovens com idade entre 15 e 29 anos. Diante desses números assustadores é que foi instituído desde esse ano o “Setembro Amarelo”, com o intuito de falar sobre o assunto para a prevenção do suicídio. Pelos números oficiais, são 32 brasileiros mortos por dia, taxa superior ao das vítimas da aids e da maioria dos tipos de câncer.

O prefácio traz a assinatura de uma das maiores autoridades brasileiras sobre o assunto, o psiquia-tra Neury José Botega, professor titular da Universidade Estadual de Campinas, fundador da Associação Brasileira de Estudos de Prevenção do Suicídio (ABEPS) e assessor científico do Centro de Valorização da Vida (CVV). “A dor causada por um suicídio é silenciada na vida das pessoas e ocultada na história das famílias. Então, sobre o que não se conversa, podemos ter a impressão de que não aconteceu e não acontece”, diz o doutor Botega, e acrescenta “o processo do luto por um suicídio é bem mais difícil, justamente pelos sentimentos e pelo constrangimento que esse tipo de morte desperta”.

Prevenção do suicídio não quer dizer evitar todos os suicídios, e sim evitar uma boa parcela dessas mortes. Para isso doutor Botega sugere que memorizemos o acrônimo ROC: Risco, primeiro passo é a suspeita de que uma pessoa venha a se matar; Ouvir, segundo passo é ouvir com atenção e respeito, sem julgar e por fim, Conduzir, o potencial suicida até um profissional de saúde mental, ou seja não ficar de braços cruzados, paralizado.




Padre Licio aborda com clareza a dor dos que ficam, dos que foram deixados para trás; a visão de diversas religiões sobre o assunto – catolicismo, protestantismo, protestantismo pentecostal, neopentecostal, judaísmo, islamismo, budismo, espiritismo, umbandismo e candomblé. Também discorre sobre um assunto que dificilmente nos é apresentado, o suicídio de líderes religiosos. Fala da retomada da vida depois do luto e dedica um capítulo inteiro para indicar onde é possível procurar ajuda.

Enfim, o objetivo da obra é trazer informações técnicas importantes sobre o tema, dados atuais e, como padre, o autor não poderia deixar de lado a sua fé. Abordar o assunto é extremamente importante para que as perguntas não sejam empecilhos, ao contrário, tornem-se caminhos para a compreensão desse tema e, quem sabe, salvação para aqueles que, no momento de desespero, veem o suicídio como única alternativa e não conseguem encontrar espaço para falar sobre isso sem serem tachados de loucos. Nessa hora, a informação, a escuta qualificada e a ausência de julgamentos podem salvar vidas.

Para adquirir um exemplar do livro “E foram deixados para trás – Uma reflexão sobre o fenômeno do suicídio”, basta acessar o link: https://www.livrarialoyola.com.br/produto/e-foram-deixados-para-tras-uma-reflex-o-sobre-o-fenomeno-do-suicidio-545862.

Quem é Padre Licio de Araujo Vale?


Padre Licio de Araujo Vale é bacharel em Filosofia pela PUC-SP e em Teologia pela Faculdade de Teologia Nossa Senhora de Assunção. É padre diocesano desde 1983, incardinado na Diocese de São Miguel Paulista – SP. Foi secretário executivo da Regional Sul 1 da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – SP) de 1996 a 2003. Atualmente é pároco da Paróquia Sagrada Família, na Diocese de São Miguel Paulista, São Paulo, SP.


Recomendado para você
Compartilhe :

2 comentários:

  1. Obrigado pela divulgação do livro. Deus os abençoe.
    Pe. Licio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que grande honra em ter o comentário do autor do livro!
      Padre Licio, o suicídio - ainda mais entre jovens - como é um tema muito pouco abordado atualmente. Com certeza esta obra ajudará a lançar luz sobre o assunto e aumentará a conscientização.

      Excluir