20 agosto, 2015

Sacerdote pede supressão de Parada LGBT na cidade de Anápolis


Em Anápolis, Pe. Lodi é presidente do
Movimento Pró-Vida
(Zenit) O Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz, sacerdote da diocese de Anápolis, cidade próxima à capital federal do Brasil, iniciou uma campanha de coleta de assinaturas via internet com a finalidade de conscientizar sobre a marcha LGBT que será realizada em sua cidade no próximo domingo, 23 de agosto.

"Que pretende o Poder Público? Que os transeuntes da cidade, incluindo crianças e adolescentes, sejam, no dia 23 de agosto, agredidos mais uma vez por um festival de obscenidades? Que a cidade seja obrigada a tolerar uma marcha de homens e mulheres frivolamente vestidos, beijando publicamente pessoas do mesmo sexo, falando palavrões e ostentando faixas e cartazes contra os símbolos religiosos?", afirma o padre Lodi.


Publicamos abaixo a carta aberta, dirigida ao prefeito de Anápolis, que o sacerdote publicou no site da fundação Citizengo. Veja a petição aqui.

***


Excelentíssimo Prefeito de Anápolis

Sr. João Batista Gomes Pinto

Está sendo amplamente divulgado pelas redes sociais que no domingo, dia 23 de agosto deste ano 2015, será realizada a “10ª Parada do Orgulho LGBT de Anápolis”, patrocinada com o dinheiro público.

Ora, nada é mais contrário à índole do povo desta cidade do que uma passeata de exaltação dos atos homossexuais. Note-se que em Anápolis nem sequer há carnaval de rua nos dias que precedem a Quaresma. Os festejos carnavalescos ficam restritos a ginásios de esportes onde o povo se reúne sobretudo para orar e louvar a Deus. Nunca houve em nosso município, como há em tantos outros, um dia especialmente dedicado à embriaguez, à orgia e à devassidão.





Por que razão as autoridades públicas insistem, já por dez anos, em afrontar a população com uma marcha de pessoas que se “orgulham” de praticar o vício contra a natureza? Não se diga que o objetivo da marcha é defender os homossexuais. Não se defende um pecador exaltando o seu pecado. Jesus, ao defender a mulher adúltera do apedrejamento, terminou dizendo de maneira lapidar: “Vai, e de agora em diante não peques mais” (Jo 8,11).

Se os homossexuais precisam de ajuda, ajudemo-los inicialmente mostrando a gravidade do seu pecado, depois, oferecendo-lhes ajuda espiritual para sua reconciliação com Deus, com a sociedade e consigo mesmos. Não é cristão incitar o pecador a orgulhar-se de seu pecado, nem obrigar o povo curvar-se diante de práticas pecaminosas.

Que pretende o Poder Público? Que os transeuntes da cidade, incluindo crianças e adolescentes, sejam, no dia 23 de agosto, agredidos mais uma vez por um festival de obscenidades? Que a cidade seja obrigada a tolerar uma marcha de homens e mulheres frivolamente vestidos, beijando publicamente pessoas do mesmo sexo, falando palavrões e ostentando faixas e cartazes contra os símbolos religiosos?

Diante da grave crise financeira por que passa o país, o Estado, que não consegue sequer dar assistência à saúde dos cidadãos, terá dinheiro disponível para promover a degradação da família?

Onde fica o respeito aos valores religiosos da população, majoritariamente cristã, que considera o homossexualismo uma “paixão aviltante”, uma “torpeza”, uma “aberração” (cf. Rm 1,26-27), um pecado que “clama aos céus” (cf. Gn 18,20-21)? Será que a Palavra de Deus pode ser acusada de preconceito?

Pelos motivos acima expostos solicitamos a Vossas Excelências a supressão da “10ª Parada do Orgulho LGBT de Anápolis”. A família anapolina agradece.

Fonte: Zenit
Compartilhe :

4 comentários:

  1. Padre Lodi, vá caçar uma mala de roupa pra lavar e ser útil na comunidade! Lavar os pés dos seus fiéis! distribuir cestas básicas! enfim..... tem muuuuuuita coisa a fazer pelo povo!

    ResponderExcluir
  2. ai ai ai ai ai meu Deus tenha misericórdia desse povo ignorante!
    Por que um padre se acha tão diferente dessas outras pessoas, a tal ponto de discriminá-las? Todos têm o direito de protestar e se manifestar, todos pagam impostos, todos são seres humanos... Quero saber o que a igreja fez com aquele "padre" que estava como "funcionário fantasma" recebendo rios de dinheiro para não trabalhar! Será que há pecadinho e pecadão no conceito do "sacerdote" acima? E o que esse mesmo sacerdote fala sobre as novelas e filmes pornográficos expostos pela televisão que invadem as casas cuspindo na cara de todos sem importar com idosos e crianças, impondo sua imoralidade para todos verem? As casas desses mesmos que ele está defendendo! E tem mais: o que esse mesmo sacerdote fala sobre os seminaristas que são: "atacados e abusados sexualmente falando", pelos bispos, diretores e líderes dos seminários católicos de Anápolis? A população católica não sabe disso, mas, eu sei e conheço alguns ex seminaristas desapontados e desiludidos do seminário, e que ao saírem de lá já foram atendidos em meu consultório para algumas seções de terapia, devido o trauma e vergonha a que foram expostos nessas “instituições”. Por favor, parem de hipocrisia minha gente, sugira aos líderes de nossa cidade algumas regras para que esses protestos aconteçam, ao invés de quererem impor seus dogmas, frescuras e a extinção de um protesto democrático. Imponham que esses manifestos sejam feitos com roupas adequadas e que sejam vistoriados antes das passeatas para retirar tudo o que “ofende” e assim sejam liberados para o protesto.

    ResponderExcluir
  3. A fé sem obras é morta, Sacerdote! Vá lá na passeata evangelizar os "descrentes"!
    A bíblia diz: ide por TODO o mundo e pregai o evangelho a TODA CRIATURA!.... Aquele que não tem pecado que atire a primeira pedra... Todo o ramo que não der frutos será cortado da videira... Todo o que diz que ama a Deus mas odeia seu irmão, é mentiroso... enfim... tantas chamadas e repreensões que Deus nos faz.... basta ler a bíblia pra saber o que fazer e ao mesmo tempo ficar calado diante de algumas situações, para não incitar a ira e desajuste do povo que está querendo só um motivo para fazer uma barbárie... por favor, seja prudente

    ResponderExcluir
  4. Homem com homem, mulher com mulher dá que fruto mesmo sr. anônimo. Pois é exatamente o que o padre está tentando mostrar e fazer, cortar extinguir essa aberração da videira, ou pelo menos de nossa cidade. O padre está certinho e todos nós cristãos, estamos com ele!

    ResponderExcluir