09 julho, 2015

"No está bien eso", diz Papa em desaprovação ao presente de Evo Morales


Durante a visita de cortesia ao presidente do Estado Plurinacional da Bolívia, no Palácio do Governo, Papa Francisco e Evo Morales trocaram presentes. O acontecimento se deu na quarta-feira, 08, durante a viagem apostólica do Pontífice pelo país.

Morales iniciou a troca de presentes dando ao Papa a maior honraria boliviana, a medalha da ordem do Condor dos Andes. Não obstante, o presidente boliviano também entregou para Francisco a distinção Luis Espinal, homenagem aos religiosos que se destacam pela defesa dos pobres, marginalizados e enfermos.


Ainda sem dar lugar ao Papa, o presidente boliviano entregou o presente mais inapropriado ao Pontífice: a escultura do martelo e foice, símbolos do comunismo, com o Cristo crucificado. Francisco ficou com semblante sério, pareceu não acreditar e expressou olhar de reprovação ao presente dado por Evo Morales. "No está bien eso" (isso não está bem), afirmou o Santo Padre duas vezes a Morales. Rapidamente o Pontífice deixou o símbolo de lado,

A Igreja ensina que "comunismo despoja o homem da sua liberdade na qual consiste a norma da sua vida espiritual" e "por sua natureza opõe-se a qualquer religião", afirma Pio XI em sua encíclica Divinis Redemptoris. Por isso o ato de Evo Morales surte como uma ofensa e tem incomodado aos católicos do mundo inteiro.

Morales ainda entregou ao Papa uma casula e o "Livro do Mar", documento que resume argumentos históricos, diplomáticos e jurídicos usados pela Bolívia para processar o Chile na Corte Internacional de Justiça de Haia além de uma biografia própria.

Após, Francisco presenteou o presidente boliviano com a representação do ícone "Salus Populi Romani" e um exemplar de sua encíclica "Laudato Si".

Confira abaixo o vídeo da entrega dos presentes (o trecho reportado nesta matéria começa em 1m40).




(Atualizado em 09/07/2015, às 14h57)
Compartilhe :

0 comentários:

Postar um comentário