31 outubro, 2012

Desânimo: realidade da juventude atual



Por Jéssica Brito

Hoje em dia o que se tem mais visto é o desânimo frequente de muitos jovens, principalmente em seus grupos da Igreja. Pode ocorrer casos do jovem se afastar do grupo a qual pertence e muitas vezes da própria Igreja, ou seja, de Cristo.
  
O que acarreta esse afastamento? Dizem que são os grupos que se formam dentro do grupo, a falsidade, entre muitos outros fatores desnecessários que se tornam desculpas para que a pessoa possa se afastar do grupo. Porém, estas desculpas estão ERRADAS. 

Antes de começar a pensar nas desculpas que serão dadas, é preciso olhar pra dentro de si e ver como anda sua vida de oração, sua intimidade com Deus. Porque se falta esta intimidade, a comunhão com Deus na Santa Missa, isso acarreta no desânimo evidente no jovem, porque ele fica fraco, sem ânimo pra nada e, é ai que o inimigo ataca  colocando-o em situações que o faz ver só os defeitos no grupo e seu processo de desânimo tem início. 
     
Não estou dizendo que os grupos de jovens são perfeitos; eles tem seus problemas sim, mas nós não podemos nos basear nos problemas do grupo como forma de perseverar ou não perseverar. Nossa forma de perseverar está em um único foco: JESUS CRISTO. E muitas pessoas se esquecem disso e só olham para as pessoas que compõem o grupo. Se há pessoas que estão se afastando dos grupos, por causa de intrigas, fofoquinhas e tal é porque seu foco em Cristo se perdeu completamente. 
      
É preciso voltar ao primeiro amor, reencontrar-se com Aquele que te ama desde antes de você nascer. É preciso voltar para DEUS. Se Deus se torna secundário em um grupo, o desânimo bate, os problemas surgem e muitos jovens podem se perder pelo mundo afora. DEUS em primeiro lugar! 

Jessica Brito, praticante da Igreja Católica Apostólica Romana
Compartilhe :

1 comentários:

  1. Jéssica, obrigado por sua colaboração. E obrigado ainda por ter posto como tema da postagem os jovens.

    A juventude, ou melhor, a perseverança de nossos jovens é sempre algo que muito me preocupa, tendo em vista todas as nossas dificuldades atuais impostas ora pela sociedade e as vezes até pela distorção daquilo que deveria ser uma família.

    ResponderExcluir