22 março, 2019

Via Sacra para rezar nas Igrejas e capelas


- Foto: Pixabay/Domínio Público -

Como já contamos aqui no Sim, sou Católico, é possível lucrar indulgências plenárias no cotidiano e o exercício da Via Sacra, perante as estações legitimamente erigidas é uma dessas formas.

Confira abaixo as 14 estações para rezar a Via Sacra e receber as indulgências dessa augusta devoção.




Oração diante do altar

Em união com Maria, a Mãe das dores, vamos, ó Jesus, percorrer o caminho doloroso por onde passastes para consumar a nossa Redenção no Calvário. Oxalá esta meditação dos principais mistérios da vossa Paixão no encha o coração de compunção por nossos pecados e de reconhecimento pelo vosso grande amor para conosco.

Antes de cada estação

V. Nós vos adoramos Senhor Jesus Cristo e Vos bendizemos.
R. Porque pela vossa Santa Cruz remistes o mundo.

Depois de cada estação

Pai Nosso, Ave Maria, Glória.
V. Senhor, pequei.
R. Tende piedade e misericórdia de mim.

Oração final

Jesus, morto por mim, concedei-me a graça de morrer num ato de perfeita caridade para convosco. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por mim agora e na hora da minha morte. São José, meu Pai e Senhor, alcançai-me que morra com a morte dos justos. Amém .





I Estação

JESUS É CONDENADO À MORTE
Pilatos lhes disse: “Mas, o que farei com Jesus, chamado Cristo?” Todos disseram: “Seja crucificado!” O governador insistiu: “Que mal fez ele?” Eles, porém, gritavam ainda mais: “Seja crucificado!” (Mt 27, 22-23).

II Estação

JESUS TOMA A SUA CRUZ
Se alguém quiser vir após mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la; mas quem perder a sua vida por amor de mim, há de encontrá-la. O que adianta alguém ganhar o mundo inteiro se vier a se prejudicar? Ou, o que se pode dar em troca da própria vida? (Mt 16, 24-26).




III Estação

JESUS CAI SOB O PESO DA CRUZ
O Senhor abriu-me os ouvidos e eu não me opus, não me retirei. Apresentei as costas àqueles que me flagelavam e o rosto a quem me arrancava a barba. Não desviei o rosto dos ultrajes e dos escarros. Meu Deus está comigo. Por isso não serei confundido (Is 50,5-7).

IV Estação

JESUS ENCONTRA MARIA, SUA SANTÍSSIMA MÃE
Simeão abençoou-os e disse a Maria, sua Mãe: “Este menino está destinado a ser ocasião de queda e elevação de muitos em Israel e sinal de contradição. Quanto a ti, uma espada atravessará a tua alma! Assim serão revelados os pensamentos de muitos corações” (Lc2, 34-35).




V Estação

SIMÃO CIRENEU AJUDA JESUS A CARREGAR A CRUZ
Enquanto o conduziam, agarraram um certo Simão de Cirene, que vinha da lavoura, e o encarregaram de levar a Cruz atrás de Jesus (Lc 23, 26).

VI Estação

UMA PIEDOSA MULHER ENXUGA A FACE DE JESUS
Quem deu crédito ao que nos era anunciado, e a quem o braço do Senhor foi revelado? Ele vegetava na sua presença como um rebento, como raiz em terra seca. Não tinha beleza nem formosura que atraísse os nossos olhares, não tinha apresentação para que desejássemos vê-lO. Era desprezado, era refugo da humanidade, homem das dores e habituado à enfermidade; era como pessoa de quem se desvia o rosto, tão desprezível que não fizemos caso dele (Is 53, 1-3).

VII Estação

JESUS CAI PELA SEGUNDA VEZ
Foi ele que carregou as nossas enfermidades, e tomou sobre si as nossas dores. E nós o considerávamos como alguém fulminado, castigado por Deus e humilhado. Mas ele foi traspassado por causa das nossas rebeldias, esmagado por causa dos nossos crimes; caiu sobre ele o castigo que nos salva, e suas feridas nos curaram (Is 53, 4-5).




VIII Estação

JESUS CONSOLA AS FILHAS DE JERUSALÉM
Seguia-o grande multidão de povo e de mulheres que batiam no peito e o lamentavam. Voltando-se para elas, Jesus disse: “Filhas de Jerusalém, não choreis por Mim! Chorai antes por vós mesmas e pelos vossos filhos” (Lc 23, 27-28).

IX Estação

JESUS CAI PELA TERCEIRA VEZ
Vinde a mim vós todos, que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração, e achareis descanso para as vossas almas. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve (Mt 11, 28-30).

X Estação

JESUS É DESPOJADO DE SUAS VESTES
Os soldados crucificaram Jesus e dividiram entre si as suas vestes, tirando à sorte o que tocaria a cada um. A túnica era feita de uma só peça, tecida de cima para baixo. Disseram, então: “Não a rasguemos, mas tiremo-la à sorte, para ver a quem tocará” (Mc 15, 24).




XI Estação

JESUS É PREGADO NA CRUZ
Quando chegaram ao lugar chamado Calvário, ali crucificaram Jesus juntamente com dois ladrões, um à direita e outro à esquerda. Jesus dizia: “Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem” (Lc 23, 33-34).

XII Estação

JESUS MORRE NA CRUZ
Em seguida, sabendo que tudo estava consumado e para se cumprir plenamente a Escritura, Jesus disse: “Tenho sede”. Havia ali um vaso cheio de vinagre. Os soldados fixaram uma esponja embebida em vinagre numa vara de hissopo e aproximaram-lha da boca. Depois de provar o vinagre, Jesus disse: “Tudo está consumado”. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito (Jo 19, 28-29).




XIII Estação

JESUS É DESCIDO DA CRUZ E ENTREGUE À SUA MÃE
Depois disso, José de Arimatéia, que era discípulo de Jesus, embora em segredo porque tinha medo dos judeus, pediu a Pilatos que lhe permitisse retirar o corpo de Jesus. Pilatos lhe permitiu. Então ele veio e retirou o corpo. Chegou também Nicodemos, o mesmo que antes tinha ido encontrar-se com Jesus de noite, e trouxe uns trinta quilos de uma mistura de mirra e aloés (Jo 19, 38-40).

XIV Estação

JESUS É COLOCADO NO SEPULCRO
Eles tiraram o corpo de Jesus e envoveram-nO em faixas de linho com aromas, conforme é o costume de sepultar entre os judeus. No local onde Jesus tinha sido crucificado havia um jardim, e no jardim um sepulcro novo onde ninguém ainda tinha sido depositado. Como o sepulcro estivesse próximo e ia começar o sábado dos judeus, foi ali que puseram Jesus (Jo 19, 40-42).


Recomendado para você
Compartilhe :

0 comentários:

Postar um comentário